Destaques:


Acompanha-nos no facebook: www.facebook.com/clubejpp | NOVO ÁLBUM DIA 20 NOVEMBRO

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Reportagem Concerto Póvoa de Varzim [10/11]



Com a ajuda da vencedora do passatempo efetuado pelo Clube de Fãs [Adriana Fonseca] onde oferecemos um bilhete duplo para assistir ao concerto do João Pedro Pais no Casino da Póvoa de Varzim, faremos uma crónica a duas vozes colocando as opiniões da vencedora.

Este foi um concerto que teve situações fora do comum dos concertos. A sua entrada em palco foi forçada a atrasar pois à hora de início ainda estavam muitos espectadores a entrar para os seus lugares.

«Do nada, surge o ténue movimento de abertura das cortinas e com ele o tão aguardado músico.»

Talvez pela situação que o mundo atravessa, em particular o nosso país, JPP começou o concerto com “Paciência” de Lenine.

«Por entre histórias contadas e interpretações magníficas, as lágrimas surgiram, pela emoção das letras ou simplesmente pela alegria de ali estar.» – confessou a fã.

Para quem conhece bem as músicas, o concerto teve aqui o seu ponto alto ao qual dá o nome ao seu espetáculo: “Improviso”. A cada primeiros acordes em cada música, era difícil alguém se aperceber qual a música que iria tocar e cantar. Demonstrando aqui a sua enorme versatilidade.

Para a fã o concerto teve dois grandes pontos de destaque: «foram, sem dúvida, a interpretação da “Mentira”»; «outro momento foi a interpretação do “Louco Por Ti” que levou o público ao rubro: os espetadores todos de pé a vibrarem com a música, a sentirem as emoções do cantor».

Durante todo concerto, JPP interpretou duas novas músicas que irão estar presentes no novo álbum, “Desassossego”, que sairá dia 10 de Dezembro. Uma delas a que já toca nas rádios nacionais – “Havemos De Lá Chegar”.

Para a fã: «Quanto às músicas novas, são tão fantásticas como as antigas, pois estão presentes sentimentos pelos quais todos nós um dia já passamos…».

Confessando gostar de interpretar poemas de outros cantautores; «terminou o concerto com uma grande interpretação de Zeca Afonso [n.d.r. “Vejam bem”] que foi fenomenal, pelo seu solo com a guitarra elétrica» – classificou a fã.

Um sinal negativo para sistema de som, que teve alguns pontos fracos…

A fã considerou que «foi dos melhores concertos que assisti… É um músico completo:  para além de interpretar e sentir, consegue fazer com que o público interaja e sinta-se parte do concerto… A frase que resume este concerto é: SEJAM FELIZES, e durante aqueles momentos o fui».

Sem comentários: